Fábio Lucindo

QUATRO

Fábio Lucindo traz em sua coluna mais um texto e lança um desafio no final, vamos ler?

Para católicos e muçulmanos nós temos um espírito que é sopro divino.
Para Hinduístas, foi um sopro que chocou o “ovo cósmico”.
No Taoísmo, Yin e Yang, inspirar e expirar, são os princípios geradores de todas as coisas.

No corpo, inspiramos antes de falar e expiramos aos poucos enquanto falamos, ou seja, a fala é a instrumentalização de um sopro que ativa significados comuns dentro de uma cultura, logo, somos os deuses das palavras.

A voz é um tecido.
Toda impressão vocal é única.

Já a prosódia e suas nuances nos oferecem outros parâmetros de entendimento, mais afetivos eu diria…

É possível dizer “eu te amo” carregado de ódio ou “eu te odeio” transbordando amor

É isso que a voz imprime, o COMO.

Talvez a capacidade de realizar registros vocais seja um dos avanços mais potentes do desenvolvimento humano.

Nem digo isso em função da minha profissão e questões de reprodutibilidade técnica, mas apelo aqui à memória.

Imagine como seria se hoje tivéssemos registros vocais de Sócrates, Safo, Sidarta Gautama, Jesus Cristo, Maria Madalena, Joana D Arc, sua tataravó.

COMO essas pessoas disseram o que disseram faz toda a diferença (e provavelmente evitaria grande parte da confusão vigente).

Toda vez que você reproduz a voz de alguém, você ativa de certa forma a existência dessa pessoa.

Eu sofro muito mais ouvindo os registros vocais que tenho de meu amigo Roger Lopes falecido há mais de 10 anos que vendo suas fotos, por exemplo.

Isso diz muito, mas não tudo.

Aqui no Versão Dublada sou convidado a registrar a voz e assuntos relacionados a ela na forma escrita, é um enorme desafio pra mim… acho a escrita um tanto fria e totalmente dependente do humor do leitor.

Por via das dúvidas e para evitar interpretações absurdas, gravo vocalmente também os textos que escrevo para cá. Além de torna-lo mais acessível, ofereço uma interpretação possível, não a única.

O que me faz ter uma ideia neste exato momento…

Mande para o Versão Dublada sua própria interpretação do texto “3” que escrevi para este site.

Não precisa ser inteiro, pode ser apenas uma linha, um parágrafo, uma palavra.
Não se preocupe com a qualidade da captação, pode ser do celular mesmo, sem crise.

A partir do material que chegar podemos montar um texto novo que ganhará outra vida, coletiva.

Um olimpo.

Envie o seu material para: contato@versaodublada.com.br ou fabio.lucindo@versaodublada.com.br

Quer me falar algo? Deixa nos comentários ou me manda um e-mail! fabio.lucindo@versaodublada.com.br

2 Comments

  1. Kayke says:

    Nossa essa coluna e esse site estão incríveis!
    Parabéns a todos os envolvidos!

Leave A Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *