Compartilhe:

O mês de setembro ficou marcado com a estreia de – Sem Tempo Para Morrer. O filme estreou liderando a bilheteria nacional, passando o Shang – Chi e a lenda dos dez anéis da Marvel. O longa marca o último filme do ator britânico, na pele do .

A história mostra um totalmente aposentado e vivendo na Jamaica, quando um velho amigo da CIA o procura para pedir ajuda numa missão secreta. O resgate de um grupo de cientista e enfrentando um misterioso vilão.

O ator encarnou em cinco filmes. O primeiro foi o Cassino Royale (2006) no qual teve a dublagem de . Ao passo que - Quatum of Solace (2008), Operação Skyfall(2012), Contra Spectre (2015) e o Sem Tempo Para Morrer (2021) foram dublados pelo Garcia Júnior.

Atualmente com 25 filmes desde 1963, James Bond teve ao longo de sua história diversas vozes. Vocês conhecem os dubladores que contribuíram para a construção desse personagem tão importante para a história do cinema?

foi o último dublador do agente secreto. Fonte: Instagram @garciajr_soldado_raso

Primeiramente a dar vida ao James Bond foi o ator escocês . Ele fez 5 primerios filmes do espião e teve 5 dubladores, contando com a redublagem feita de todos pelo . No longa -Contra o Satânico Dr. No (1963), o agente secreto enfrenta um cientista determinado a destruir o programa espacial dos Estados Unidos com a dublagem de (1928-2016).

Em seguida teve Moscou Contra 007 (1964) e mostra a batalha de Bond contra uma organização criminosa chamada SPECTRE. Da mesma forma que o anterior, esse também houve a dublagem de .

dublou mais vezes o agente secreto. Fonte: Internet

Agora no 007- Contra Goldfinger (1965), o agente enfrenta um magnata chamado Goldfinger que tem planos de destruir a reserva de ouro americana. A dublagem foi realizada pelo (1941-2014).

Em 1966 teve o lançamento do 007 Contra a Chantagem Atômica em James Bond enfrenta novamente a SPECTRE. Contudo foi Newton da Matta (1946-2006) responsável por dublar o agente secreto.

Durante o ano de 1967, o agente secreto teve dois filmes. Primeiramente o 007 Só Se Vive Duas Vezes que teve a interpretação do e a dublagem de (1946-1997). Nele o James Bond investiga no Japão o desaparecimento de uma nave americana e outra soviética.

Por outro lado no filme Cassino Royale houve uma troca de atores e também de dubladores, o britânico e o responsável pela voz foi (1925-2002).

foi o primeiro James Bond nos cinemas. Fonte: Internet

Entre os anos de 1970 e 1989, houveram apenas dois dubladores. Em 007 A Serviço Secreto de Sua Majestade, o autor australiano George Lazenby esteve na pele do agente. Tanto quanto ficou responsável pela sua dublagem. Já em 1972 em 007 – Os Diamantes São Eternos teve a volta do ator Sean Connery e a dublagem continuava com Seixas.

Na fase em que assumiu o papel do espião britânico, emprestou a sua voz para o personagem. Todavia em alguns filmes foi feita a redublagem pelo . Tais como: Com 007 Viva e Deixe Morrer(1973), 007 – O Espião que me Amava (1977) e 007 Contra o Foguete da Morte (1979). O único filme que não teve redublagem nesse período foi o 007 – Contra o Homem com a Pistola de Ouro (1975).

Durante 8 anos Márcio Seixas ficou responsável pela dublagem de Bond. Primeiramente 007 Somente Para Seus olhos (1981) com o ator . Em seguida 007 Nunca Mais Outra vez (1983) teve a volta do experiente Sean Connery. O filme é considerado uma refilmagem do 007 Contra a Chantagem Atômica (1966).  Juntamente com 007 Contra Octopussy, com em que faria também o próximo 007 – Na Mira dos Assassinos (1985).

Roger Moore foi vítima de um câncer em 2017. Fonte: G1

Aliás os dois próximos dois filmes seriam dublados pela última vez por Márcio Seixas. Enquanto seria a estreia de na interpretação do espião James Bond nos filmes 007-Marcado Para a Morte (1987) e 007 – Permissão para Matar (1989).

Logo depois em Contra GoldenEye (1995) é o primeiro longa da cinesérie que não tem nenhuma referência a qualquer livro. Bem como a estreia de no papel do agente secreto e também do seu dublador no cinema foi . Contudo, na versão em VHS teve a redublagem de .

O dublador ficaria responsável pela dublagem de mais dois filmes do 007 de o Mundo Não é o Bastante” (1999), em que na versão em VHS teve a redublagem de Sérgio Moreno, e Um Novo Dia Para Morrer (2003).

Por fim, no longa-metragem O Amanhã Nunca Morre (1998) a dublagem do agente ficou nas mãos de Carlos Campanile e na versão em VHS ficou por conta de .

Dentro desses 58 anos do agente 007,muitos atores e dubladores tiveram a honra de vestir o terno do mais famoso espião britânico do mundo. Afinal, qual foi o espião mais memorável?

Versão Dublada tem canal no Youtube, Instagram e também no Telegram. Participe para receber e debater do universo da dublagem brasileira.


Compartilhe: