Compartilhe:

Cada mulher tem sua própria essência, que é resultado de suas escolhas e de seus ideais. Aqui, no , não tem essa de sexo frágil! Por isso, recebemos algumas das mais poderosas do Brasil. Venha com a gente relembrar o encontro delas no .

Escaladas para esse bate-papo estão: (Mulher-Gavião), (Lisa Simpson), (Mística), (Daenerys Targaryen) e Marcia Coutinho (Agente Maria Hill). Um elenco e tanto! Cada uma delas mais especial do que a outra, com personagens que transparecem toda sua garra, força comprometimento. Um encontro de gerações transbordando em talento. Não sei como o Ygor não precisou de óculos com tanta luz que essas heroínas emanam.

, , (ao centro), Marcia Coutinho e

O bate-papo começou com força total, relembrando histórias nostálgicas sobre o famoso pátio da Herbert Richers. “Ali marcava-se encontros amorosos, ali tinha brigas de rolas no chão, de tudo.”, disse . Além disso, quer mais nostalgia do que falar da dublagem de desenho?

As animações, em geral, lidam com um público infanto-juvenil. É uma grande responsabilidade entrar na casa das pessoas, ainda mais quando essas ainda estão formando seu vocabulário ou, até mesmo, senso crítico. Um desenho deve divertir, mas também deve ensinar e provocar que aquela criança ou aquele adolescente questionem as coisas a sua volta. Essa vozes, através da excelente dublagem, falam com eles, se tornam amigos íntimos, acompanhando o seu desenvolvimento.

Marcia Coutinho e

“O desenho, ele te permite muito mais, né? Por que quando você está dublando um ator/ uma atriz, você fica muito preso ao que ele criou para não ficar nem além nem aquém. Então, você tem que estar em cima. Agora, o desenho, ele te permite pegar a nossa versão brasileira e brincar bastante com isso”, pontuou Márcia Coutinho.

Se para nós, espectadores, já é uma emoção assistir uma entrevista com tanta história e talento, imagina para a Andrea Murucci, e Marcia Coutinho que, mesmo antes começar a dublar, já acompanhavam o trabalho de Carmen Sheila e , referência para elas hoje em dia.

“Com elas (Carmen e Nair), eu aprendi, eu criança espectadora. Elas tocavam o meu coração. Com isso, quando eu entro no estúdio hoje, eu entro para tocar o coração.”, revelou Marcia Coutinho emocionada.

Para além de toda essa emoção, Nair Amorim relembrou seu tempo de noviça rebelde, ao passo que Carmen Sheila contou histórias inusitadas de sua época de rádioteatro. Histórias deliciosas de se escutar.

Foto após a gravação

Concluímos que essas mulheres são as mais fortes e corajosas de toda a dublagem. Opa… Menos quando o assunto é dublar filme de terror! Carol Crespo e Andrea Murucci nos contam melhor sobre “O estúdio de dublagem assombrado!”. 

“A gente dubla todos os filmes, né? Nós somos mulheres fortes, poderosas e maravilhosas. Mas, assim, dentro mesmo é tudo mentira, nesse perfil assim de filme de terror”, brincou Carol Crespo enquanto Andrea Murucci pontuou: “Tudo sempre acontece quando a gente dubla filme de terror”.

Esse encontro foi surpreendente! Prepare-se para rir, para se emocionar, para tremer na base. Corre no canal e maratone a todos os vídeos com essas super-heroínas da dublagem. Elas são uma inspiração para mim e para minha carreira. E para você?

#GirlPower

Compartilhe: