Compartilhe:

“Eu ainda me vejo, embora 37 anos tenham se passado, naquela menininha que ouvia as . Cada vez que eu ia para o com o Mário [Jorge] e reconhecia uma voz, eu ficava louca.”, .

O que dizer de que todo mundo já não saiba. Sua brilhante tanto como quanto como diretora de nos traz um brilho nos olhos por tamanha dedicação e comprometimento com cada filme, com cada personagem, com cada .

Ouvir sua voz é como deleitar-se em um mar de e . Todo esse com a boa faz com que eu, e creio que com você também, queira saber cada vez mais sobre a vida e dessa referência na . É sobre isso que vamos falar hoje.

Nessa (mais do que especial) ao Versão Dublada, descortina o início de sua , como foi conhecer a , criar sua filha nos estúdios e várias curiosidades interessantes. “Quando eu fui fazer o testo (para a escolinha), foi incrível. Eu, simplesmente, dublei. (…) Para mim o processo foi bem rápido, por que eu já estava a dois anos assistindo, e eu assistia os melhores.”, disse a da Meredith Grey.

Meredith Grey

Mônica Rossi mergulhou no mundo da dublagem muito antes do primeiro e aprendeu acompanhando seu então marido . Essa oportunidade deu a chance de Mônica absorver todo o talento dos ícones que circulavam pelo famoso pátio da . Seu depoimento me deixou de queixo caído. Ela disse: “Eu acho que a ainda é a melhor escola. Claro que você tem que praticar aquilo que você observa, óbvio. Mas, a é uma escola para a vida, não só para a dublagem. A vida é assim!”.

Durante a , ainda surgiram histórias de bastidores como a dublagem de , o TOP 5 (ou quase isso) de personagens e atrizes que ela amou dublar, as histórias de direção e muito mais desses quase 40 anos de carreira.

Todo esse amor e dedicado à dublagem são recompensados com uma multidão de fãs, assim como eu, que esperam ávidos por mais e mais produções com essa voz que marcou gerações. Mônica, por mais que você não goste de se assistir, a gente ama! Continue sendo essa mulher guerreira e batalhadora que tanto contribui para o universo da dublagem.

“Tudo que eu devo, eu devo à dublagem.”, brinca Mônica Rossi, nossa eterna Rose de .


Compartilhe: