Compartilhe:

“Essencialmente, o trabalho do dublador é tão especializado, que você pode ser magnífico no teatro, você pode ser genial na TV, você pode ser uma estrela de cinema e pode não conseguir dublar.”, Hercules Franco.

Nesse tempo de isolamento, onde cuidar de quem a gente ama é estar longe, bom mesmo é relembrar os momentos em que passamos juntos. Aqui no Versão Dublada, já fizemos muitos encontros especiais, mas o primeiro sempre terá seu lugar reservado no coração de todos os fãs do canal, como eu.

Nesse primeiro , reunimos dubladores excepcionais como: (Capitão América), Hercules Franco (General Zod), (Mulher Gato), (Mulher-Maravilha) e (Homem-Aranha). Uma explosão de talento e história na dublagem só poderia render um bate-papo para ficar na memória.

Com tanta história boa, não há como começar por outro lugar que não seja o pátio da . Quase todos os dubladores que vieram no canal e são da época desse renomado estúdio lembram com carinho e até mesmo com certo ar cômico desse ponto de encontro desses profissionais. 

“Antigamente, nós tínhamos um grande pátio na que era o ponto de encontro de todos nós. Era ali que as coisas aconteciam. Era ali que a gente conversava, discutia, brigava, namorava.”, disse Hercules Franco com brilho nos olhos ao viajar ao passado.

Ao juntar pessoas que já se conhecem há muito tempo, vários relatos surgem pelo meio do caminho, como se uma história fosse atropelando a outra pelo entusiasmo de juntar tantos amigos que, no dia a dia não têm tempo de se encontrar e curtir esses momentos. Dentre essas histórias estão a dublagem de Perdidos no Espaço, o trabalho de na TV Colosso, experiências inusitadas com fãs, a organização dos estúdios de e a dublagem de Cãezinhos do Canil.

“Acho que esse (Cãezinhos do Canil) foi o meu primeiro trabalho na dublagem”, disse em meio a festa de histórias.

Com a modernidade, permitiu-se que os dubladores atuassem de forma separada ao invés de todos juntos em uma mesma bancada. Se por um lado é bom pela qualidade sonora, maior concentração no que os profissionais estão fazendo, por outro eliminou-se essa interação que havia dentro do estúdio, essa troca de experiências entre os mais novos e os com um percurso maior na carreira. Eles, de fato, aprendiam com as lendas da dublagem dentro do estúdio.

“Houve uma época em que todos se conheciam”, pontuou , ao passo que Hercules Franco disse: “Antigamente, tinha uma coisa muito bacana. O dublador ganhava prestígio entre os colegas e eram os colegas que avisavam para os outros. (…) Hoje é mais difícil, né? Todo mundo trabalha sozinho, ninguém se vê.”.

Cada um deles, mesmo de épocas diferentes, formações diferentes, carregam consigo muito amor e carinho pela dublagem, além do respeito pelo seu próprio trabalho e pelo trabalho de seus companheiros. Sem dúvidas, uma das entrevistas mais ricas que eu já tive o prazer de assistir. Te espero lá no canal, para assistir a essa obra prima.


Compartilhe: