Compartilhe:

Chamando todos os otakus! Hoje a nossa história é com a voz do : . A primeira coisa para se perguntar a alguém desse calibre é o impacto dos na vida dele, tanto profissional como pessoal.

“Eu lembro que eu assistia , mas mas eu não tinha noção que eram , contou Ricardo ao dizer que colocava os na faixa das animações normais.

O , que foi um canal de TV a cabo que exibia animes dublados, lhe ofereceu uma oportunidade, “Eu nunca tinha feito locução. Foi muito louco, por que o Jorge da Sigma me chamou para fazer um teste. Eles queriam, na verdade, não locutores. Eles queriam atores/dubladores para fazer a locução. Porque, de repente, podia se fazer as vozes dos personagens no meio da locução, esse tipo de coisa”, pontuou Sawaya.

Ricardo comentou com o Ygor Guidoux que dublar é algo dificílimo. Mas, todo esse esforço compensa com o amor caloroso dos de e dos de . “Enquanto você está fazendo o seu trabalho ali, atrás do microfone a gente não tem a menor noção de que vai acontecer, pra onde vai ou quem vai assistir”.

aceitou, inclusive, aceitou a responsabilidade de dublar Cavaleiros dos Zodíaco e teve uma performance impecável. “Quando eu fiz o Cavaleiros, eu já sabia da importância da série. Você chega já com uma outra responsabilidade”, relembrou Sawaya.

Também teve a honra de participar da premiada série Dr. , onde afirmou que era necessário imprimir naturalidade em um texto que é completamente específico e repleto de jargões. é aquela coisa: você falar o nome de um remédio ou de uma doença é como se você falasse ‘oi, bom dia.’”

Pra quem acha que é apenas sincronia de lábios, Ricardo Sawaya deixa um recado: “A tem uma coisa que é muito importante, na minha opinião: a gente não dubla boca. Eu, pelo menos. Eu dublo olho, eu dublo mão. A boca a gente sincroniza.”.


Compartilhe: