Compartilhe:

Olá, meus amigos! Tudo bem? 🙂

O live-action Mulan que teve a sua estreia adiada diversas vezes por conta do fechamento das salas de cinema em 2020 ganhou a sua data de estreia oficial, mas não será mais nos cinemas e sim diretamente no serviço de streaming da Disney, o Disney+ no dia 04 de setembro.

Mas calma, ainda não será possível assisti-lo no Brasil, uma vez que o filme chegará apenas para os países que já possuem o serviço (Disney+ chegará no Brasil no dia 17 de novembro de 2020).

Tudo começou na década de 90, quando o estúdio nos apresentou O Livro da Selva (The Jungle Book), 101 Dálmatas (101 Dalmatians) e sua continuação 102 Dálmatas (102 Dalmatians), versões em live-actions dos clássicos Mogli: O Menino Lobo e 101 Dálmatas, que foram bem nas bilheterias, mas nada surpreendente.

Fonte: https://images.justwatch.com/backdrop/146784486/s1440/101-dalmatians

Nos anos 2000, mais precisamente em 2010, a Disney nos apresentou uma nova versão de Alice no País das Maravilhas (Alice in Wonderland) e quatro anos depois, uma nova versão trazendo uma das principais vilãs do estúdio como protagonista, em Malévola (Maleficent), que foram muito bem de público nos cinemas. 

Os números iam bem, mas foi em 2017 que tudo começou a ficar maior, quando a nova versão de A Bela e a Fera (Beauty and the Beast) arrecadou mais de US$1,2 bilhão de dólares ao estúdio e o estúdio pareceu mergulhar de cabeça nessas novas versões.

Ano passado, em 2019, o estúdio arrecadou mais de US$ 2,7 bilhões de dólares em bilheterias nos cinemas somente somando os números das novas versões de Aladdin (Aladdin) e O Rei Leão (The Lion King).

Fonte: https://observer.com/wp-content/uploads/sites/2/2019/07/the-lion-king.jpg?quality=80

Para os amantes de dublagem, quase nenhuma das novas versões trazem as vozes originais de seus personagens dos desenhos animados, com exceção de Aladdin (Aladdin), de 2019, que trouxe mais uma vez o dublador Márcio Simões dublando o Gênio (Will Smith), mesmo sendo um personagem recorrente seu, ele teve que fazer testes para a personagem. Confira a entrevista com ele no canal Versão Dublada:

A Disney não divulga o motivo das mudanças das vozes, mas eu acredito que seja para apresentar um filme totalmente novo para a nova geração de fãs, além de evitar comparações e também porque alguns dubladores das antigas animações já não estão mais vivos.

Além disso, as mudanças nas vozes dos personagens dos live-action não acontecem apenas no Brasil, internacionalmente, os novos filmes recebem novas dublagens e até mesmo filmes como O Rei Leão (The Lion King), sucesso de público do ano passado, trouxe um time totalmente novo para dar voz ao remake.

Apenas o ator James Earl Jones, a voz do Mufasa, na animação de 1994 voltou para dar voz ao personagem na versão de 2019. 

Para os fãs mais antigos da Disney, como eu, com certeza é triste você não ter a voz da nova Mulan feita pela grande atriz e cantora Kacau Gomes ou o Simba na voz do grande ator, dublador e diretor Garcia Junior, mas confesso que os novos trabalhos estão bem interessantes, principalmente de Mulan, que ainda não teve seu time de dubladores brasileiros divulgados, mas que já podemos ver um pouco nos trailers já divulgados.

Em breve, devo falar mais a fundo sobre algumas dublagens dos live-actions da Disney, mas queria saber de vocês. Vocês se incomodam com as novas vozes nos filmes da Disney baseados nas animações ou não?

Bem, nos vemos numa próxima 😀 


Compartilhe: