Compartilhe:

O acordo entre a e a nos trouxe muitos presentes no início dessa parceria, a felicidade e o hype eram grandes na época, porém tudo acabou quando as séries começaram a ser canceladas, o que eventualmente trouxe o fim do acordo entre as empresas.

Dentre todas as séries feitas, foi sem dúvida a melhor e a que mais ficamos tristes quando foi cancelada. Após um tempo, os fãs já estavam desacreditados em relação ao personagem e sua quarta temporada, até uma pessoa que já é muito conhecida em vazar informações da aparecer como a luz no fim do túnel, Mikey Sutton. (Fonte: Observatório de Séries)

Segundo ele, a e a pretendem, em parceria com a Hulu, trazer uma série do , no entanto não continuando o que a começou, mas sim realizando um reboot, ou seja, uma série com um novo enredo, do zero. Mikey Sutton também afirmou que Charlie Cox deve voltar como o Homem Sem Medo nessa suposta série, além de alguns atores que talvez também reprisarão seus papéis.

Assim que essa informação for confirmada pela Marvel várias dúvidas surgirão e uma das mais frequentes, se não a mais, será que a qualidade continuará a mesma?

Dependendo de como ele seria introduzido no MCU toda essa qualidade poderia sim se perder visto o público geral da e da Marvel. Uma possível solução a isso seria um selo paralelo para filmes com uma carga dramática mais pesada, assim como os selos Max e Marvel Knights das HQs, que trazem quadrinhos mais adultos. Sobre sua introdução nesse universo com certeza seria algo ligado a sua profissão, a advocacia; e como Peter Parker está encrencado pois (alerta de spoiler) sua identidade foi revelada em seu último filme (final do spoiler), quem sabe ele contrate os melhores advogados de Nova Iorque, hehe! A entrada de no MCU não é algo desafiador, mas sim o seu desenvolvimento e sua conclusão, tendo em vista que ele é um personagem essencialmente mais violento e envolvido em tramas não recomendadas para qualquer um.

Nos quadrinhos a visão que temos do Demônio de Hell’s Kitchen é de um personagem que nunca vemos desistir, não importa o quanto machucado e debilitado esteja. O crime deve ser combatido de todos os modos e a qualquer hora, seja de dia e perante a lei como um advogado ou seja de noite e além da lei como um vigilante.

O roteiro foi totalmente capaz de adaptar, resgatar e retratar essa essência na série, acertando muito bem nas HQs que escolheram durante o enredo da obra, como a lendária “A Queda de Murdock”, retratada na terceira temporada. HQs mais antigas que contam o começo da vida de Matt Murdock foram muito bem utilizadas nos flashbacks da série, o que garantiu uma ótima construção ao personagem e deu peso a sua jornada do herói.

Além disso tudo, a direção, de maneira sútil, deixou toda a obra mais “assistível” ainda, nos trazendo cenas arrepiantes, uma fotografia excelente e planos sequências dignos de premiação.

Sem falar da impecável dirigida pelo consagrado Mário Jorge Andrade e composta por incríveis dubladores e dubladoras como na voz do Murdock, Mauro Ramos na do vilão Wilson Fisk e Monica Rossi na da enfermeira Claire Temple, um trabalho que não só seguiu a dedicação e o carinho do roteiro e da direção, mas que também deu mais peso e drama a trama.

Será porque todos ficaram tristes e chateados com o cancelamento da série? Com tantas qualidades o medo de não ficar no mesmo nível ou ficar pior, apenas cresce. O que nos resta é esperar! E aí, o que você acha? Charlie Cox deveria ir para o MCU protagonizando filmes ou a ideia de uma nova série é melhor?


Compartilhe: