Oi pessoal, momento gamer na área. Um passarinho me contou que um dos jogos de ação mais falados dos últimos tempos ganha, hoje, uma continuação épica. Confesso que não sou uma exímia conhecedora de videogames, mas, para levar a vocês um conteúdo encorpado e interessante, consultei o meu Nerdicionário favorito e me surpreendi com a desse .

Antes de mergulharmos na de , eu gostaria de falar um pouco sobre . Diferente da , quando um ator chega para gravar as de um , ou seja, localizá-lo, em geral não são apresentadas as cenas ou o contexto. A única referência que esse ator possui é o áudio. Por isso, uma boa direção é fundamental para manter a qualidade do , preservando a experiência da .

O foi contemplado com várias premiações, tendo 198 indicações com 139 prêmios recebidos. mesmo de estrear, já havia um grande burburinho a respeito da qualidade da animação e complexidade dos desafios, mas foi a história do que me chamou mais atenção. Vou contar essa história através dos olhos de alguém que viveu através dos personagens e se emocionou com o desenrolar dos fatos.

- Imagem de Divulgação

O enredo de é um excelente exemplo de que os jogos podem também contar uma história elaborada e emocionante. Apesar de ter uma duração de aproximadamente 30h, consegue ser envolvente e interativa a ponto de, quando acaba, deixar aquele gostinho de “quero mais”. 

A trama gira em torno de (), que depois de perder sua filha tragicamente, precisa encontrar motivações para viver em um mundo dominado pelo caos, depois de uma contaminação em massa, que transforma seres humanos em criaturas horripilantes (zumbis).

No meio do caminho, a história de se entrelaça com a de (), uma adolescente que pode possuir a cura para esse vírus. Porém, além de protegê-la, começa a alimentar uma relação de pai e filha, apesar dele fugir disso a qualquer custo. Mas, se engana quem pensa que a veio para substituir a filha falecida na vida de . A relação entre eles é algo completamente novo. para ambos.

The Last Of Us- Imagem de Divulgação

A história se encaixa dentro de um suspense que mexe com o jogador, fazendo com que ele lute pela sobrevivência dos personagens. Os jogadores se inserem na história desde a trajetória um pouco conturbada e repleta de inseguranças entre os dois personagens, até a concretização do amor paterno do protagonista. Cada personagem se torna quase um amigo íntimo do jogador. Nós vivemos o seu amor, choramos as suas dores e tememos os seus medos.

A brasileira gera um certo carisma para os protagonistas, que faz com que até mesmo os jogadores mais ansiosos, como eu, assistam as cutscenes do jogo. como , Júlio Chaves, Clécio Souto, e , que fazem parte do nosso dia a dia, desde as animações que assistimos quando pequenos, até os filmes e séries, nos envolvem na atmosfera do . Somos íntimos dessas , o que torna tudo ainda mais convidativo.

The Last of Us é um pós-apocalíptico de ação-aventura e sobrevivência, desenvolvido pela empresa norte-americana Naughty Dog, apresentado a partir de uma perspectiva em terceira pessoa. O jogador atravessa uma série de ambientes arruinados, passando por locais variados como cidades, edifícios e esgotos a fim de avançar pela história. O jogador controla durante a maior parte da história o personagem de , mas, em dado momento, você também pode controlar a .

The Last Of Us Part II

Para a segunda parte dessa saga apocalíptica, não poderíamos ter expectativas maiores. A , que marcou a era dos jogadores de ps3 e um remaster para ps4 gera certa ansiedade para essa nova etapa. Os jogadores esperam se emocionar tanto quanto no primeiro. É impressionante como um jogo com seu quê de terror, pode provocar tanta . Além, é claro, das expectativas em relação aos zumbis. Espera-se novos tipos, novas transformações e novos níveis de dificuldade. Além da chance de matar a saudade de jogar com Joel e com a Ellie.

André Mello vêm como diretor da parte II, com novas vozes de Raphael Rossatto como destaque. Para a alegria dos fãs, Clécio Souto, e retornam para viver mais essa história com os personagens de The Last Of Us Part II.

O jogo “dublado” tem um gostinho diferente. É mais intimista, é mais real. Toca mais o coração das pessoas. Porém, uma boa com atores de qualidade não é algo que saia barato. Por isso, muitas empresas optam por não localizar, apenas legendar os jogos. Precisamos dar valor a produtos com a nossa . A qualidade precisa ir desde os gráficos e complexidade dos desafios, até a compreensão e o envolvimento com a trama. É isso que torna um jogo como The Last Of Us, um jogo excelente.

Mate a saudade dessas vozes e se prepare para essa nova etapa. Espero que nos encontremos mais vezes para o nosso #MomentoVDGamer.

Compartilhe: